Diretrizes para a Coluna Anpof

A Coluna Anpof tem como objetivo a publicação de artigos e ensaios produzidos pela comunidade filosófica que, além de dar visibilidade às pesquisas realizadas nas mais diversas áreas, busquem dialogar com questões contemporâneas a fim de contribuir para o debate público. Também são aceitos textos de homenagem, resenhas e traduções. 

As submissões devem ser feitas em língua portuguesa com extensão entre 500 e 1500 palavras. Os textos devem ser inéditos e podem ser produzidos por qualquer pessoa que pertença ou tenha pertencido a algum programa de pós-graduação brasileiro, contemplando estudantes de mestrado e doutorado. 

Ocasionalmente, os textos submetidos à Coluna Anpof podem ser divulgados, com a permissão das autoras e autores, no Estado da Arte ou no Le Monde Diplomatique Brasil, veículos com os quais temos parceria.

Os textos podem ser submetidos pelo email: comunicacao@anpof.org.br, indicando no campo "assunto": Submissão para a coluna anpof.

Será avaliada apenas a versão final do texto.


Filosofia, modo de usar.

Alexandre de Oliveira Torres Carrasco

Professor do Departamento de Filosofia UNIFESP

23/05/2019 • Coluna ANPOF

Não faz muito tempo que a filosofia entre nós tinha algo de excêntrico. Faltava-lhe não sei o que de ordinário, de cotidiano, de prosaico. Tudo também se resume a entender quem seria esse “nós”, também um dos “nós” da questão, mas sigamos. O fato é que, repentinamente, pelo menos para efeito retórico, parece que não só, (…)

O nome da confusão

Amaro Fleck

Professor de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais

21/05/2019 • Coluna ANPOF

Por isso, em vez de insistir na mobilização da classe trabalhadora na porta das fábricas, os comunistas teriam passado a priorizar, em algum momento do século vinte, a infiltração de seus quadros em jornais, rádios e televisões; nas escolas e nas universidades; nas editoras e nos centros culturais (…)

Por que não a Filosofia?

Franciele Bete Petry - UFSC (1)

Doutora em Filosofia e em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina com doutorado sanduíche na J. W. Goethe Universität (Alemanha)

06/05/2019 • Coluna ANPOF

Uma sociedade que decide condenar a Filosofia precisa explicar por que o faz. Ela é inútil? Supérflua? Desnecessária? Seja qual for o adjetivo usado para (des)qualificá-la, será necessário argumentar para defender uma posição. E argumentar, com honestidade intelectual, requer apresentar boas razões para que uma determinada conclusão possa se (…)

"Nós, os inimigos"

Prof. Dr. André Constantino Yazbek

Doutor em Filosofia (PUC-SP),
Professor Adjunto de Filosofia e
Chefe do Departamento de Filosofia da Universidade Federal Fluminense - UFF

03/05/2019 • Coluna ANPOF

Algumas declarações do atual Ministro da Educação, Abraham Weintraub, com intervalos de poucos dias e devidamente acompanhadas de afirmações de mesmo quilate proferidas pelo senhor excelentíssimo Presidente da República, Jair Bolsonaro, dão o tom exato da espécie de narr (…)

O antifilósofo

Prof. Dr. Filipe Campello

Doutor em filosofia pela Universidade de Frankfurt, pós-doutorado pela New School for Social Research (Nova York)
Professor de filosofia da Universidade Federal de Pernambuco

18/04/2019 • Coluna ANPOF

Prof. Dr. Filipe Campello (1) Certas ideias em destaque no Brasil de hoje deveriam provocar indignação não só naqueles com posições políticas de esquerda, mas em quaisquer simpatizantes da tradição liberal. Pois embora divirjam sobre vários assuntos, esses dois lados do espectro político possuem visões semelhantes sobre a defesa da dignidade (…)

O recrudescimento da obliteração da Filosofia diante de uma conjuntura reacionária (ou) sobre o papel constitucional de um governo que se supõe republicano num Estado democrático de direito

Prof. Dr. Jozivan Guedes

PPG/Filosofia-UFPI
Doutor Filosofia-PUCRS

12/04/2019 • Coluna ANPOF

Ouço, agora, porém exclamar de todos os lados: não raciocineis! O oficial diz: não raciocineis, mas exercitai- vos! O financista exclama: não raciocineis, mas pagai! O sacerdote proclama: não raciocineis, mas crede! [...]. Eis aqui por toda a parte a restrição da liberdade (KANT. Was ist Aufklärung). Nada mais relevan (…)

O ensino de Filosofia e a reforma educacional: o que fazer?

Prof. Dr. Christian Lindberg

UFS

05/04/2019 • Coluna ANPOF

Prof. Dr. Christian Lindberg - UFS A reforma do ensino médio compreende uma série de alterações no escopo legal do país que ocorreu nos últimos três anos. Pode-se considerar, além da lei nº 13.415/2017, a Base Nacional Comum Curricular para o Ensino Médio (BNCC/EM), as Diretrizes Curriculares Nacional para o Ensino Médio e a Educação Profis (…)

O que estamos fazendo com os nossos meninos?

Érico Andrade

Professor do Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal de Pernambuco

15/03/2019 • Coluna ANPOF

É evidente, contudo, que os matadores de Suzano, a exemplo do que ocorreu em Realengo, estavam armados, tinham estudado na escola e sofreram bullying. Mas, nem mesmo o somatório desses fatores explica porque aqueles jovens fizeram algo que a maior parte das pessoas não faria, mesmo quando confrontadas com as mesmas cir (…)

Columbine já se anuncia aqui. Evitemos Columbine enquanto há tempo

Valéria Cristina L. Wilke - Departamento de Filosofia

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
Integrante do GT Filosofia e Gênero

15/03/2019 • Coluna ANPOF

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO Columbine é certamente um dos paradigmáticos eventos violentos que marcaram a recente cultura norte-americana, uma vez que o massacre teve um planejamento cuidadoso durante meses, do qual fizeram parte a aquisição de armas de fogo e a de material para a produção de bombas c (…)

A história da filosofia e as obras escritas por mulheres: uma nota metodológica

Nastassja Pugliese

FE/UFRJ - PPGLM/UFRJ

07/03/2019 • Coluna ANPOF

Por isso, na pesquisa sobre as obras filosóficas clássicas escritas por mulheres, se impõe a reflexão sobre as condições materiais, sociais e políticas do processo que se inicia no fazer filosófico e se concretiza na entrada das obras para a história. A exigência dessa reflexão p (…)