O futuro da ANPOF-EM

Christian Lindberg L. do Nascimento

05/05/2020 • A ANPOF e o Ensino Médio

Instituio Universidade Federal de Sergipe O futuro da ANPOF-EM Prof. Dr. Christian Lindberg L. do Nascimento[1] O Encontro ANPOF-EM um evento consolidado dentro da agenda da ANPOF. Criado com o objetivo promover um espao de discusso em torno de temas relacionados ao ensino de Filosofia, o evento tem permitido a aproximao dos segmentos da sociedade que trabalham na educao bsica com os pesquisadores vinculados ps-graduao em Filosofia do pas. Vale lembrar que o Encontro ANPOF-EM s pde ser concretizado devido ao empenho da diretoria da ANPOF e do GT Filosofar e ensinar a Filosofar. Por outro lado, a insero da Filosofia na educao bsica gerou uma demanda especfica, o que fez a diretoria da ANPOF e a coordenao do GT entenderem que era preciso ter um espao para discutir o ensino de Filosofia nos encontros da ANPOF. Nas quatro edies realizadas, o encontro propiciou espaos de intercambio terico e prtico. No realizado em Vitria, por exemplo, 171 trabalhos foram submetidos Comisso Cientfica. Esse fato fez com que a rea de ensino de Filosofia se transformasse em uma rea destacada dentro do encontro da ANPOF, principalmente se adicionarmos as reunies do GT Filosofar e ensinar a filosofar e os encontros do Prof-Filo e PIBID/RP/Filosofia. Este cenrio tende a crescer devido a concluso dos 500 mestrandos vinculados ao Prof-Filo, no perodo de 2019-2020. Penso que alguns fatores podem contribuir para entender uma possvel expanso: 1) A presena da rea Ensino de Filosofia nos cursos de graduao ps-graduao, mesmo ela no existindo formalmente no mbito da CAPES. Praticamente todo departamento/faculdade de Filosofia do pas tem, pelo menos, um docente envolvido com a rea; 2) A existncia de programas governamentais direcionados formao docente; 3) O mestrado profissional (Prof-Filo) em diversas instituies de ensino superior; 4) A insero da disciplina Filosofia no currculo da educao bsica, em que pese a converso sofrida na BNCC; 5) A expanso dos institutos federais. Diante do atual cenrio, parece-me apropriado discutir o futuro do Encontro ANPOF-EM. A comunidade filosfica brasileira, atravs da ANPOF, precisa avaliar se mantm ou no o atual formato. Em caso de mudana, apontar que configurao organizacional ele deve ter para atender os desafios polticos postos ao ensino da Filosofia em nosso pas. A ANPOF-EM: um histrico quantitativo Antes de expor o que penso sobre o assunto em tela, talvez seja oportuno compartilhar alguns dados do Encontro ANPOF-EM. Pode-se dizer que a concepo do evento foi mantida nas quatro edies realizadas. Composto por relatos de experincias, um simpsio para discutir temas relacionados ao Ensino de Filosofia, e minicursos, o pblico presente foi composto por professores de Filosofia da educao bsica e pesquisadores da rea. No encontro de 2012, realizado em Curitiba, 24 trabalhos foram aprovados, contemplando professores/pesquisadores de 17 estados. Alm dos relatos de experincia, houve a realizao de 6 minicursos e um simpsio. Devido a uma articulao da comisso local de organizao e a Secretaria de Educao do Paran, o evento contou com a presena de professores de Filosofia da rede estadual paranaense. Os relatos de experincia foram gravados e esto disponveis no canal da ANPOF no Youtube. Em 2014, na cidade de Campos do Jordo, 80 relatos de experincia foram submetidos Comisso organizadora. 37 foram selecionados para apresentar, 24 no formato de comunicao e outros 13 no de banner, mobilizando apresentadores de 18 estados. A exemplo da primeira edio, o encontro contou com minicursos e um simpsio. Na cidade de Aracaju, em 2016, houve uma diminuio quantitativa de trabalhos. No se sabe ao certo o que aconteceu para que isso ocorresse, o fato que foram submetidos 16 trabalhos, sendo 13 relatos aprovados e apresentados na capital sergipana. Alm disso, ocorreram 5 minicursos e um simpsio. Os relatos, a exemplo da edio de Curitiba, esto disponveis no canal da ANPOF no Youtube. Outro aspecto semelhante ao ocorrido na capital paranaense foi a presena de professores de Filosofia da rede pblica estadual de Sergipe no encontro, totalizando 125 inscritos. Na ltima edio, realizada na cidade de Vitria, ocorreu o crescimento quantitativo do Encontro ANPOF-EM. Foram submetidos 171 trabalhos para a comisso organizadora, sendo que 41 foram aprovados e apresentados como relato de experincia. Outros 27 foram encaminhados s sesses temticas realizadas durante o Encontro da ANPOF. Os expositores que apresentaram trabalhos vieram de 18 estados diferentes, mantendo a abrangncia nacional do encontro. Alm dos relatos, 3 minicursos foram ministrados e ocorreu, mais uma vez, o simpsio. A organizao do evento foi feita por professores vinculados aos programas de Filosofia associados ANPOF. As quatro comisses organizadoras, independentemente do tamanho, foram constitudas por integrantes do GT Filosofar e ensinar a Filosofar, da diretoria da ANPOF, um membro indicado pelo comit local de organizao do Encontro da ANPOF e pesquisadores da rea. Assim, em 2012, a comisso de organizao contou com nove integrantes, a de 2014 teve quatro, cinco na de 2016 e sete no ltimo encontro ANPOF-EM. Nas quatro edies foi constituda uma comisso cientfica para avaliar os trabalhos submetidos. A experincia das outras reas Pretendo relatar, de forma pontual, como outras associaes/sociedades cientficas articulam e organizam a rea de ensino no seu interior. Tentar absorver elementos da experincia alheia, principalmente aquelas mais prximas da Filosofia, pode ser um caminho interessante. Contudo, isso no significa dizer que o que vale para uma, valha para outra, principalmente em uma conjuntura de ataques pejorativos que a Filosofia tem sofrido. A Associao Nacional de Histria (ANPUH), criada originalmente para ser uma associao de professores universitrios, composta por uma diretoria nacional, sucursais e 26 Grupos de Trabalho. O GT Ensino de Histria e Educao o que aglutina os filiados da ANPUH que possuem vnculo com a rea ensino de Histria. esse GT, por exemplo, que organiza o Encontro Nacional dos Pesquisadores do Ensino de Histria (ENPEH). O curso de Histria tem um mestrado profissional em Ensino de Histria (Prof-Histria). Ele no tem vnculo formal com a ANPUH, apenas poltico, e recebe forte influncia dos integrantes do GT Ensino de Histria e Educao. O caso da Geografia no diferente. A Associao de Gegrafos Brasileiros (AGB) a sociedade cientfica que representa os gegrafos, gegrafas, professores e estudantes de Geografia do pas. Sua estrutura composta por uma diretoria nacional, sees locais e Grupos de Trabalho. O GT Ensino de Formao Profissional um dos quatro GT?s que compem a estrutura da AGB. Embora no faa parte dos fruns da AGB, o Encontro Nacional de Prtica de Ensino de Geografia (ENAPEG), tem como objetivo consolidar as pesquisas vinculadas ao ensino de Geografia na educao bsica, congrega professores (educao bsica e superior), estudantes da graduao e ps-graduao. A Associao Nacional de Ps-graduao e Pesquisa em Geografia (ANPEGE), formada pelos Programas de Ps-graduao em Geografia do pas, no suscita espaos especficos para discutir o ensino da Geografia. Diferentemente da Histria e da Geografia, a Cincia Social se organiza em entidades/associaes cientficas diferentes. Associao Nacional de Ps-graduao e Pesquisa em Cincia Sociais (ANPOCS), Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) e Associao Brasileira de Antropologia (ABA) compem este conjunto. A ANPOCS rene mais de uma centena de centros de ps-graduao e pesquisa de todo o pas, congregando antroplogos, cientistas polticos, socilogos e da rea de Relaes Internacionais. A associao feita por scios institucionais e no por pesquisadores individuais. Outra sociedade cientfica a SBS. Ela busca representar pesquisadores brasileiros nas reas de Sociologia e Cincias Sociais e, pelo visto, a relao dela com a educao bsica inexistente. A ABA a mais antiga delas. Voltada a assuntos relacionados ao ensino superior, a ABA tem no seu interior uma Comisso de Educao, Cincia e Tecnologia, coletivo que no promove a interface com a educao bsica. Contudo, as Cincias Sociais tm uma associao especfica para tratar dos assuntos relacionados educao bsica. Criada a partir do sentimento de que as sociedades cientficas da rea no davam o devido valor ao tema do ensino da Sociologia, foi fundada, em 2012, a Associao Brasileira de Ensino de Cincias Sociais (ABECS). Sem ter a pretenso de se colocar em disputa com qualquer entidade sindical ou cientfica, a ABECS busca somar esforos para que o ensino da Sociologia na educao bsica tenha relevo no campo acadmico e seja legitimado no contexto da educao bsica. Do ponto de vista organizacional, a filiao individual, a entidade conta com uma direo nacional, unidades regionais e organiza o Congresso da ABECS a cada dois anos. As Cincias Sociais tm um mestrado profissional, a exemplo do Prof-Filo e do Prof-Histria. Com 9 ncleos, o Mestrado Profissional em Sociologia (Prof-Socio) dedica-se pesquisa e formao continuada dos professores de Sociologia que lecionam na educao bsica. bom registrar que o Prof-Socio no tem vnculo formal com a ABECS. Por fim, a ltima associao cientfica a ser investigada a Associao Nacional de Ps-graduao e Pesquisa em Educao (ANPED), entidade que congrega os programas de ps-graduao em educao, professores e estudantes vinculados a estes programas. Ela composta por uma direo nacional, um frum composto por coordenadores dos programas de ps-graduao em educao e 23 Grupos de Trabalhos (GT?s), sendo um dedicado Filosofia da Educao. A ANPED organiza seu congresso nacional a cada dois anos e, de forma intercalada, encontros regionais. A filiao pode ser individual ou institucional. O futuro da ANPOF-EM: uma possibilidade A proposta que apresento tem alguns eixos norteadores: 1) Reforar a ANPOF como a principal entidade acadmica do pas na rea de Filosofia; 2) Manter a relevncia do GT Filosofar e ensinar a Filosofar para as discusses da rea ensino de Filosofia; 3) Incorporar novos atores para o debate, a exemplo dos estudantes que participam do Prof-Filo, dos programas governamentais (PIBID, Residncia Pedaggica, etc.) e professores da rede federal de ensino; 4) Fortalecer a rea ensino de Filosofia dentro da ANPOF. A primeira sugesto visa criar um rgo, que pode ser um Conselho de Educao Bsica da ANPOF, para articular as aes promovidas pela ANPOF que envolvam o ensino de Filosofia na educao bsica. Nesta proposta de configurao, o protagonismo fica a cargo das coordenaes do GT Filosofar e ensinar a Filosofar e do Prof-Filo. Fortalecer o Encontro Nacional do Prof-Filo, trazendo-o para dentro do Encontro Nacional da ANPOF. Isso pode permitir o contato dos discentes do Prof-Filo com os demais integrantes da comunidade filosfica, estreitando a relao da Ps-graduao com a educao bsica. Alm disso, o GT Filosofar e ensinar a Filosofar manteria a regularidade das suas reunies bianuais dentro da programao geral do Encontro da ANPOF. Assim, teramos dois espaos especficos para discutir o ensino de Filosofia dentro do principal evento organizado pela ANPOF, que seu encontro. Sugiro a criao de um grande encontro nacional de Ensino de Filosofia, a ser realizado entre os encontros nacionais da ANPOF. Esse evento ser concebido e organizado pelo conselho da ANPOF, sob superviso da diretoria da ANPOF. O objetivo central propiciar mais um espao para a apresentao de trabalhos/pesquisas e discutir questes pertinentes ao ensino da Filosofia na educao bsica (ensino fundamental e ensino mdio). O pblico-alvo deve ser composto por estudantes de licenciatura, especialmente aqueles que participam de programas governamentais (PIBID e RP), ps-graduandos vinculados ao Prof-Filo, docentes da educao bsica (fundamental e mdio), pesquisadores da rea, docentes da rede federal/estadual/municipal/privada de ensino, etc. O ensino da Filosofia nunca esteve to acessvel como na atualidade. Por outro lado, o cenrio aponta um futuro incerto para o Ensino de Filosofia na educao bsica. Reler a atualidade parece ser imprescindvel, o que impe para a comunidade filosfica brasileira um olhar mais atento. Dar expressividade organizacional e relevncia poltica que a rea Ensino de Filosofia merece talvez seja o primeiro passo para superar os atuais desafios. Em suma, a proposta que apresento no definitiva. Ela est aberta, sujeitando-se crtica e aos ajustes. O fato que se faz necessrio ressignificar o atual modelo do Encontro ANPOF-EM. Sob a coordenao da diretoria da ANPOF, o novo formato deve ser mais plural, representativo e promover as discusses em torno do ensino de Filosofia na educao bsica brasileira. _____ [1] Professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Sergipe. integrante do GT Filosofar e ensinar a filosofar, faz parte do corpo docente do Programa de Ps-Graduao em Filosofia (UFS) e do Prof-Filo (ncleo UFPE). integrante da Comisso de Organizao do Encontro ANPOF-EM.